As camisetas do Sport Club Guarany, de Cruz Alta (parte 2, os anos 1980)

Com ilustrações de Evaldo Júnior (www.erojkit.com)

No começo de 1967, o Guarany chega a iniciar uma pré-temporada visando o campeonato daquele ano, mas, em abril, toma a decisão de se licenciar. Dois anos depois, em 1969, mais uma vez tenta voltar e joga algumas partidas contra equipes amadoras da região, mas acaba se mantendo inativo. Depois, em 1971, é disputado um campeonato citadino (o último de Cruz Alta), em homenagem aos 150 anos do município. O Guarany não teve interesse em reativar o futebol profissional, mas foi representado no campeonato pela equipe do Vila Brenner FC, que havia sido campeã amadora da temporada anterior. O título acabou ficando com o Nacional.

Em 1972, o Rio Grande do Sul vivia o auge das fusões, que ocorriam por todo o estado, na tentativa de manter o futebol profissional, e Cruz Alta não ficou de fora: Guarany e Nacional se uniram na Associação Cruz Alta de Futebol, a ACAFOL. Como a maioria das fusões, a ACAFOL não foi bem sucedida e logo surgiam críticas de que uma das partes havia agido em benefício próprio. No caso de Cruz Alta, por exemplo, o Morro dos Ventos Uivantes acabou sendo eleito como campo principal, recebendo investimentos da fusão. Enquanto isso, o patrimônio do Guarany era deteriorado, dificultando cada vez mais o retorno da equipe. Já em 1974 a fusão foi desfeita.

Apenas na virada da década, o Guarany começa a se mobilizar novamente, iniciando obras de recuperação da Taba Índia. O festival de inauguração do novo estádio ocorreu no começo de 1985 e marcou a retomada do futebol profissional no clube. A partir daí, a ascensão da equipe foi meteórica: logo em 1985, venceu a terceira divisão; e, dois anos depois, em 1987, foi campeão da divisão de acesso, retornando ao convívio com os grandes clubes do estado.

Na retomada do futebol profissional, as camisetas titular e reserva do clube são de modelos bem diferentes entre eles. A camiseta listrada, principalmente, é antiquada para a época e, talvez, tenha sido reaproveitada de alguma tentativa de reativação na década anterior. O patrocínio é da Massey Ferguson, o primeiro a ser estampado na camiseta do time índio.

Ainda no final da temporada de 1985, o Guarany passa a ter novos modelos de camisetas, uma azul e uma listrada, ambas com golas do tipo polo. Essas camisetas seriam bastante longevas, sendo usadas até a temporada de 1987. Em 1987, no entanto, ambas as camisetas receberiam, pela primeira vez, o patrocínio do agrotóxico Scepter, que se manteria até meados dos anos 1990. Ainda em 1987, uma camiseta branca é adicionada ao catálogo de camisetas do Guarany, já com o patrocínio.

1987 SC Guarany (branco)

A temporada de 1988 acabou não sendo das melhores. Ao final do ano, o Guarany voltaria a segunda divisão. Teve, ainda, uma participação na terceira divisão do Campeonato Brasileiro. Num quadrangular com equipes de Santa Catarina e Paraná, o Guarany sofreu cinco derrotas e somou apenas um ponto. As camisetas azul e branca passam a ter cor única, incluindo gola e barra das mangas. O patrocínio do Scepter também deixa de ser colorido. Já a camiseta listrada de 1988 é diferente das suas contemporâneas e tem gola em V.

1988 SC Guarany (listrada)

Em 1989, o Guarany volta a fazer uma boa campanha na Divisão de Acesso e, embora tenha perdido o título para o Ypiranga, na última rodada do octogonal final, retornou à elite como vice-campeão. A camiseta listrada da temporada é bem semelhante à anterior, mudando apenas a disposição das listras. A branca, por outro lado, muda bastante e o patrocínio volta a ser colorido. Ainda necessitando de confirmação, acredito que o Guarany usou, ainda em 1989, uma terceira camiseta, de um azul mais escuro.

1989 SC Guarany (listrada)

De volta à primeira divisão, o clube faz, agora, uma boa campanha e fica perto de se classificar para o quadrangular final. Uma derrota para o Pelotas, na última rodada, entretanto, deixa o Guarany com a sétima colocação entre os 14 participantes. Pude identificar apenas a camiseta listrada da temporada, que difere das anteriores, principalmente, por ter a gola azul.

1990 SC Guarany (listrada)

Referência: A melhor referência sobre a história do Guarany é o livro Esporte Clube Guarany: Uma História de 94 Anos, de Lino Ceretta, torcedor e ex-goleiro do clube. É um trabalho muito dedicado e bonito. Agradeço igualmente aos pesquisadores Izan Muller e Lucas Scherer por compartilharem uma cópia deste trabalho comigo.

2 comentários sobre “As camisetas do Sport Club Guarany, de Cruz Alta (parte 2, os anos 1980)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s