Em 1960, Bandeirantes vence o Municipal, mas é eliminado no Estadual

Na temporada de 1960, o Esporte Clube Bandeirantes sagrou-se campeão municipal amador da terceira categoria e habilitou-se para a disputa do Estadual. Na semifinal da Zona, disputada em ida-e-volta, o Bandeirantes enfrentou o Olaria, campeão da chave Canoas-São Leopoldo-Novo Hamburgo. A primeira partida estava marcada para o campo do Tristezense, no dia 8 de janeiro de 1961, mas os hamburgueses alegaram, no dia do prélio, que o local não apresentava as mínimas condições de segurança e se recusaram a entrar em campo. O jogo foi, então, remarcado para a semana seguinte, na moribunda Chácara das Camélias, antigo campo do já extinto Nacional.

EC Bandeirantes (1961)

O rubro-negro da Tristeza, em 1961.

Olaria NH (1961)

Os adversários, vindos da cidade industrial.

Desse modo, no dia 15 de janeiro de 1961, adentraram o gramado as seguintes equipes:

  • Bandeirantes (comandado por Guilherme Tolotti): Melendo; Bebeto, Carioca e Gambá; Tarugo e Paulo Schmidt; Betinho, Paulinho, Heitor (depois Rubinho), Nelsinho e Robertinho.
  • Olaria (comandado por Adelarmo Farias): Valdir; Baiano, Astrogildo e Campeão; Lara e Paulo; Pércio (depois Lauri), Nívio, Sadi, Renê e Zizi.

Depois de um primeiro tempo equilibrado, o melhor preparo físico do Olaria prevaleceu e o time tristezense desandou. O placar final foi de 3 a 2 para o Olaria, que marcou com Nívio, Sadi e Lara. Para o Bandeirantes, descontaram Betinho e Robertinho. Não houve queixa quanto à atuação do árbitro José Luiz Barreto. Por outro lado, a situação da Chácara deixou todos descontentes, principalmente devido à falta de água no estádio, num calor de janeiro em Porto Alegre.

Eles só tem preparo físico!

Tolotti, técnico do Bandeirantes, sobre o Olaria

O diabo não é tão feio quanto o pintam.

Farias, técnico do Olaria, sobre o Bandeirantes

Bandeirantes - Olaria (1961) goleiro Melendo

O goleiro Melendo defende potente chute de Sadi.

O jogo da volta foi realizado no Estádio Santa Rosa, em 23 de janeiro de 1961, e foi outra vez apitado por José Luiz Barreto (desta vez, de atuação regular). Assim como no primeiro jogo, o Bandeirantes foi amplamente dominado pelo Olaria, que marcou o único gol da partida, através de Nílvio, aos 19 minutos da etapa complementar. As equipes formaram da seguinte maneira:

  • Olaria: Valdir; Baiano, Campeão, Lara e Astrogildo; Paulo e Renê; Lauri, Nívio, Sadi e Zizi.
  • Bandeirantes: Melendo; Carioca, Quevedo, Schmidt e Airton; Tito e Nelsinho; Betinho, Paulinho, Tarugo e Robertinho.

Bandeirantes Paulinho Tarugo Guido (1961)

Os valores da zona sul da Capital: Paulinho, Tarugo e Guido.

Olaria - Bandeirantes 1961

Assim como no primeiro jogo, o arqueiro Melendo teve que se virar pra segurar as investidas do Olaria.

Com o resultado, o Bandeirantes deu adeus à competição estadual. O Olaria, por sua vez, enfrentou e venceu, na grande final, o Fiação e Tecidos, de Pelotas, garantindo seu primeiro título estadual.

As fotos que ilustram a postagem são da Folha da Tarde Esportiva.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s