As camisetas do Esporte Clube 12 Horas, de Porto Alegre

Há, em Porto Alegre, uma comunidade que leva o nome de um campo de futebol: o Campo da Tuca. Encravado no Partenon, um dos maiores bairros da capital gaúcha, a denominação do local homenageia uma antiga personalidade da região. Adilles Meirelles, a Tuca, era dona de uma pensão e, com o crescimento da população na região, dada a gentrificação acelerada pela qual passou Porto Alegre no século passado, achou que o campinho deveria ser preservado antes que fosse tarde. Com isso, o campo virou o Campo da Tuca e a comunidade cresceu em torno dele.

O primeiro time de futebol a extrapolar os limites da comunidade foi o Flamenguinho, fundado em 1975. Nos anos 1990, o time tornou-se uma potência na várzea porto-alegrense. Em 1993, venceu a Copa Paquetá, um gigantesco torneio que, em algum momento, chegou a ser o mais importante da várzea metropolitana e cuja final tinha transmissão pela televisão.

12 Horas Sul Brasileiro 2017Time campeão sul-brasileiro amador em 2017 (Fonte: futebolgaucho.com.br)

O 12 Horas veio bem depois, oficialmente em 14 de agosto de 2001. O nome da equipe veio da atividade de seus fundadores, que cumpriam turnos de trabalho de 12 horas numa empresa de vigilância. Nascido em uma época em que o futebol amador federado gaúcho agonizava, o time do relógio foi o último time dominante do Estadual Amador, vencendo suas duas últimas edições, 2013 e 2014. Foi, ainda, campeão do Sul-Brasileiro Amador por duas vezes: 2013 e 2017. Antes disso, com registro ainda pendente junto à FGF, o clube disputava as competições oficiais em parceria com outras equipes (em 2010 e 2011, com o Tamoio, de Viamão; em 2012, com o Americano, de Canudos, Novo Hamburgo).

Para a temporada de 2019, o clube decidiu se profissionalizar e ingressar na Segundona Gaúcha. Com muitas dificuldades, o clube acabou não fazendo uma boa campanha e teve um aproveitamento de apenas 17%. Nos 10 jogos disputados, o 12 Horas teve apenas uma vitória, no dia 4 de maio, por 3 a 2 contra o Novo Horizonte. As camisetas para a aventura profissional do clube foram confeccionadas pela Outbox, de Porto Alegre.

CostasNas camisetas pretas, permanece em destaque nos profissionais a divulgação do Baile Funk da Tuka, evento com sucesso além das fronteiras do bairro (Foto: Alex Moraes, Facebook do 12 Horas)

Baile Funk da Tuka

Um pouco da história da Tuca é bem contada no projeto Humanista da UFRGS.

No programa Na Cara do Gol número 13, publicado na TV FGF em 31 de maio de 2019, Flávio Fiorin e Glauco Pasa entrevistam Marcelo Nunes, diretor do 12 Horas.

Times que já foram publicados previamente podem ser conferidos no Catálogo de Times.

3 comentários sobre “As camisetas do Esporte Clube 12 Horas, de Porto Alegre

  1. Wagner disse:

    A história do 12 horas é muito legal e muito triste ao mesmo tempo. Teria tudo pra ser um clube de bairro, mas pra isso teria que jogar lá na Tuca. Ia ser muito legal se fosse possível. Um time como esse jogando longe da sua casa não faz o menor sentido

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s