As camisetas do Esporte Clube Novo Horizonte, de Esteio

O Esporte Clube Novo Horizonte foi fundado em 28 de dezembro de 2008 pelo ex-jogador Rudimar Marques Cardozo, que teve sua carreira muito precocemente interrompida por uma grave lesão. O lema do clube é “o futebol e a educação são prioridade para um bom rendimento profissional e social”. Baseado nisso, o Novo Horizonte começou com categorias de base, mas sempre teve em mente o futebol profissional. A partir de 2011, a empresa Futebol Pensador, criada por Gabriel, o Pensador, passou a fazer parte da gestão do clube que, no final de 2015, se profissionalizou.

Em 2016, o Novo Horizonte chegou a aparecer na listagem inicial dos participantes da Segundona Gaúcha, mas acabou desistindo antes do início da competição. A estreia do clube no profissionalismo se deu no segundo semestre, na Copa Metropolitana. Em dez jogos, o time de Esteio conquistou apenas três pontos, numa vitória por 2 a 0 sobre o Sapucaiense. As camisetas que abriram o profissionalismo no Novo Horizonte foram produzidas pela Weefe.

No começo do ano seguinte, o Novo Horizonte contratou o volante Emerson, nativo da cidade e ex-jogador do Grêmio, para dar mais experiência à equipe. Na Segundona, o time fez campanha regular, classificando-se na primeira (apesar de ter perdido três pontos por uma escalação irregular) e na segunda fases. O verdão acabou eliminado nas quartas-de-final pelo Igrejinha, após empatar em um gol no Cristo Rei (casa alugada pelo clube entre 2016 e 2018) e perder por 2 a 0 no Vale do Paranhana. Para a segunda temporada profissional, o Novo Horizonte trocou o fornecedor de material esportivo passando a usar Drággon (que, por sinal, fez uniformes 1 e 2 de tonalidades parecidas). Outras coisas que chamam a atenção na camiseta da segunda temporada: 1) Desaparece o logo do Pensador – o que me faz pensar que o convênio tenha deixado de existir, o que eu não pude confirmar; 2) Enche de patrocínios – Alguns deles, como o Brasilit no ombro direito, entram na camiseta por permuta. O Novo Horizonte usava o campo da empresa para treinamentos, em troca de exposição da marca. O mesmo ocorria com o Gerdau na parte posterior da camiseta.

Na segundona de 2018, o Novo Horizonte teve péssima campanha e somou apenas oito pontos (de 30 possíveis na primeira fase), sendo prontamente eliminado. O fornecimento de material esportivo passou a ser da empresa Flash Sports, de Cachoeirinha. Acredito que o clube de Esteio utilizou o fardamento verde escuro em todos os jogos.

2018 Novo Horizonte (verde)

Coincidência ou não, depois de utilizar material esportivo produzido em Cachoeirinha, para a temporada de 2019, o Novo Horizonte mudou-se do Cristo Rei para a recém inaugurada Arena do Cruzeiro. Embora faça uma campanha abaixo dos 30% de aproveitamento na Segundona deste ano, o Novo Horizonte segue em vantagem na disputa pela última vaga do Grupo 1 para a próxima fase. A Flash Sports continuou produzindo o uniforme titular. No jogo contra o 12 Horas em São Leopoldo, os esteienses viram-se obrigados a utilizar camisas claras: no caso, camisas da equipe amadora do Sulbrasil, produzidas pela Felpa 3, numa história que já foi contada, recentemente, na primeira edição do dOnC.

Emerson 2019

À esquerda da foto, o volante Emerson, capitão do Novo Horizonte no início da temporada de 2019.

Todos os times que já foram publicados no História das Camisetas podem ser vistos aqui.

Para contatar o Novo Horizonte:

  • Whatsapp: 989376884
  • Facebook: @verdaodeesteio
  • Twitter: @ecnovohorizonte
  • Instagram: ecnovohorizonte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s